{lang: 'en-US'}

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Cazaquistão agradece a 'Borat' por estimular turismo ao país




Fonte: BBC Brasil
O governo do Cazaquistão agradeceu ao ator e humorista Sacha Baron Cohen, por seu personagem Borat, que teria estimulado o turismo ao país centro-asiático.
Quando o filme Borat - O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América foi lançado, em 2006, o longa metragem foi proibido no Cazaquistão pelas autoridades locais, que ameaçaram ainda processar o humorista. 
Mas agora o ministro das Relações Exteriores do país diz estar ''grato'' a Borat por ter ''ajudado a atrair turistas'' ao país.
Segundo o ministro Yerzhan Kazykhanov, o número de vistos solicitados por potenciais turistas ao país aumentou em dez vezes.
O filme acompanha os passos do repórter Borat Sadiyev em sua viagem aos Estados Unidos, onde ele busca sua musa, a atriz Pamela Anderson.

Censura

Apesar de a produção ter sido rodada na Romênia, autoridades acharam que o filme retratava o Cazaquistão como sendo um país racista, machista e primitivo.
Borat, o protagonista, se vangloriava de cometer incesto e estupros. E também dizia que a ex-nação soviética contava com as prostitutas mais limpas do mundo.
O governo chegou a proibir a venda do DVD de Borat e bloqueou o acesso de internautas ao site do filme.
No mês passado, o Cazaquistão fez um protesto formal ao Comitê Olímpico Asiático após uma gafe cometida pelos organizadores de um evento esportivo no Kuwait.
Na cerimônia de entrega de uma medalha a uma atleta cazaque, em vez de tocarem o hino oficial do país, executaram o hino "falso" que aparece no filme Borat.
Em um encontro com políticos na última segunda-feira, o chanceler cazaque afirmou: "Com o lançamento do filme, o número de vistos expedidos pelo Cazaquistão cresceu dez vezes. Sou grato a Borat por ter ajudado a atrair turistas ao Cazaquistão''.

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Um comentário: