{lang: 'en-US'}

terça-feira, 21 de março de 2017

Rolling Stone Music & Run. Corrida, rock e cerveja!



Esta é a quinta edição da Rolling Stone Music & Run, evento de corrida cujo final é sempre muito divertido, além de ajudar na recuperação das calorias perdidas com uma boa gelada. Isso porque a corrida termina com um show de rock (nessa edição teremos o rock do Ira! e a abertura será feita pelo Warriors) e Open Bar de cerveja.
As inscrições custam R$ 119,90 nas modalidades Caminhada 3 quilômetros, corrida 5 e 10 quilômetros. O evento ocorrerá no dia 13 de maio a partir das 17h30, no Memorial da América Latina, São Paulo. 
Importante: o preço de R$ 119,90 só será válido até HOJE. A partir de 22 de março o preço volta ao normal, R$ 139,90. Além disso, o acesso à Arena do evento só ocorrerá com a camiseta oficial e número de inscrição no peito. Após a corrida haverá uma triagem e as pessoas sem os itens obrigatórios (camiseta e numeração) não poderão retornar à Arena. As largadas para cada modalidade serão separadas.
O kit consta de camiseta, sacola em jeans e brindes. O Memorial da América Latina (onde acontecerão a Largada e Chegada) fica na Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664 -  Barra Funda.

Texto: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.


segunda-feira, 20 de março de 2017

Breaking Bad - O filme. Mad Max Black & Chrome. Para quê?


Algumas pessoas gostam de ser enganadas. Ganhar dinheiro com boas obras é mérito de quem as faz, mas há produtos que enganam os consumidores. No nosso caso, cinéfilos, um remake mal feito ou as versões alternativas geralmente são apenas mais uma forma de tirar dinheiro do amante da Sétima Arte. O amante tolo...
Os casos mais recentes e absurdos foram - internacionalmente - o "longa-metragem" de Breaking Bad e a versão Black & Chrome de Mad Max - Fury Road. 

Texto: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

As duas versões são apenas embuste e em nada acrescentam ao filme (Mad Max) e à série (Breaking Bad). 
A versão Black & Chrome de Estrada da Fúria é um desperdício. Nada, absolutamente nada é alterado ou melhorado na trama. A única diferente está nas cores do filme que ganha traços de obra antiga com a substituição do branco por uma tonalidade cromada. A questão é: se o diretor quisesse uma versão assim, ele não a teria filmado inicialmente dessa forma? As tonalidades e a beleza das cores dos cenários são suprimidos nessa versão. Todo o esforço de George Miller é descartado com essa película alternativa, voltada exclusivamente para o lucro dos fãs que querem a "edição especial". 


Já Breaking Bad é uma afronta à inteligência dos fãs da série. Por que? Lembram do fiasco que foi o filme Os Dez Mandamentos? Sim, aquele filme que é um corta e recorta de uma novela para transformar em um longa-metragem. Deu certo? Não, ficou ridículo e confuso, cheio de cortes desconexos e forçados. Essa fórmula não dará certo nunca. Isso também ocorreu com o Alto da Compadecida, porém com resultados menos desastrosos. Mas o fato é que não há como compilar cinco temporadas de uma série - lotada de cenas marcantes que duraram episódios - em apenas 2 horas. Muita coisa ficará de fora. Já imaginaram Lost, Dexter, Game of Thrones, The Walking Dead e tantas outras ótimas séries minimizadas a um "filme" de 2 horas? O resultado é insatisfatório, voltado ao lucro e que indica desprezo à inteligência do público.
Até quando vão tentar tirar nosso dinheiro com produtos fracos e minimalistas, onde a qualidade é suprimida para obter lucro com pessoas que não compreendem que estão sendo ludibriadas ou apenas querem mais um 'item de colecionador'?
Aos fãs, fica a dica de que há muitos outros produtos das franquias para investir e guardar. Esses filmes "alternativos" são pura enganação.


sexta-feira, 17 de março de 2017

Salvat lança nova coleção de graphic novels do Homem-Aranha.



Já disse isso aqui antes, porém preciso frisar: o Homem-Aranha é o mais rentável e amado personagem da Marvel. Muitos podem não gostar das tramas do Amigão da Vizinhança, mas é indiscutível sua influência dentro da Casa das Ideias. 
Uma prova contundente da força que o personagem tem está nos cinemas. A luta para incluir o Aracnídeo no filme Capitão América: Guerra Civil levou os estúdios Sony e Marvel a um acordo. 
Além disso, o Aranha já esteve em quase todos os eventos épicos da Marvel e é um dos mais carismáticos, principalmente por conta de sua vida conturbada e, por vezes, comum.
Apesar de seus poderes, Peter Parker sofre, sonha, passa por problemas pessoais, perde e ganha como todos nós. Isso o aproxima do grande público.
Agora, a Salvat traz até nós uma coleção em capa dura, papel de alta qualidade e, principalmente, uma compilação das melhores histórias do Aranha escolhidas para agradar sua legião de fãs.
Além das histórias, cada edição trará os bastidores da trama, galeria de capas, esboços e entrevistas com os roteiristas e desenhistas. 
As quatro primeiras edições são estas: Caído entre os mortos, Percepções, A saga original do Clone e O mal no coração dos homens. 
Aparentemente a Salvat irá seguir o padrão de suas coleções anteriores, o que implica em dizer que teremos a primeira edição por R$ 9,90, a segunda por R$ 24,90 e as demais por R$ 39,90.

Curta nossas fanpages: Apogeu do Abismo e Franz Lima.








Vivara apresenta sua coleção de jóias de A Bela e a Fera.


Com o lançamento do live action de A Bela e a Fera, já aguardávamos uma invasão de produtos associados aos personagens do filme e da animação da Disney. Desde adesivos até os cobiçados Hot Toys são produtos previsíveis e comuns ao lançamento de filmes de grande apelo junto ao público. O mesmo aconteceu com Os Vingadores, Batman v Superman, Jurassic World e tantos outros.
O que surpreendeu foi a descoberta de uma coleção de pingentes de prata feitos pela Vivara que reúne os principais personagens da animação. 
Mas não pense que para por aí. A Vivara também tem pingentes de Alice no País das Maravilhas, Malévola, Cruella DeVil, Capitão Gancho, Úrsula, o Espelho Mágico, a Bruxa (Branca de Neve) e outros. As fotos abaixo mostram todos os itens da coleção A Bela e a Fera, além dos outros citados.
















quinta-feira, 9 de março de 2017

Gal Gadot e Chris Pine mandam um recado às mulheres brasileiras.


Em um divertido vídeo, Gal Gadot e Chris Pine (Mulher-Maravilha e Steve Trevor) mandam um recado a todas as mulheres do Brasil. Além de ser uma ferramenta de divulgação do filme, a Warner e os atores fizeram uma bela homenagem às brasileiras. 
Confiram o vídeo divulgado no Dia Internacional da Mulher...


segunda-feira, 6 de março de 2017

Os livros que marcam os lançamentos de março pela Editora Rocco.


Rocco

HARRY POTTER E A CÂMARA SECRETA, de J.K. Rowling e Ilustrado por Jim Kay
Com mais de 450 milhões de exemplares vendidos em 75 idiomas, a série Harry Potter segue fascinando leitores de todas as idades e ganhando novos fãs a cada dia. E agora ao alcance do público infantil. Depois de Harry Potter e a Pedra Filosofal, é a vez de Harry Potter e a Câmara Secreta chegar às prateleiras em edição ilustrada. Cenas de tirar o fôlego, momentos tensos da trama e personagens inesquecíveis esperam os leitores nesta edição mágica que traz o texto integral de J.K. Rowling e desenhos do premiado Jim Kay. Com tinta, papel e pixels, o ilustrador britânico cria um mundo encantado como nunca antes visto para acompanhar o segundo ano de Harry Potter na Escola de Magia de Hogwarts. O livro tem projeto gráfico sofisticado com capa dura, sobrecapa e miolo em papel couché.
Autora: J. K. Rowling
Tradução: Lia Wyler
Ilustração: Jim Kay
Preço: R$ 119,50
272 pp. | 23,2x27,3 cm
ISBN: 978-85-325-3055-4
Assuntos: ficção – romance/novela, fantasia

Curtam nossas fanpages:  Franz Lima e Apogeu do Abismo.

KINGMAKER – O abandono da fé, de Toby Clements
No segundo volume da série Kingmaker, iniciada com o aclamado Uma jornada no inverno, o escritor e jornalista britânico Toby Clements vai até o coração da Inglaterra dividida do século XV para narrar como pessoas anônimas de então viveram, amaram, lutaram e morreram. Tendo como pano de fundo a sangrenta Guerra das Rosas, a série mescla uma precisa reconstrução histórica com o ritmo ágil e envolvente dos melhores romances, ao acompanhar as peripécias de Thomas e Katherine, dois jovens cujos caminhos se cruzaram de forma inesperada e irreversível numa madrugada gelada de 1460, nos arredores de um monastério. Em sua jornada pela sobrevivência numa Inglaterra dominada pelo medo e pela violência, os dois protagonistas seguem para o norte, levando consigo um livro misterioso com uma revelação bombástica que pretendem mostrar ao enfraquecido rei Henrique, enquanto, no sul, os príncipes da casa de York se preparam para a guerra.
Autor: Toby Clements
Tradução: Geni Hirata
Preço: R$ 64,50
464 pp. | 16x23 cm
ISBN: 978-85-325-3052-3
Assuntos: ficção, novela, romance histórico

QUESTÃO VITAL – Por que a vida é como é?, de Nick Lane
Muito tem sido pesquisado e escrito sobre o surgimento e a evolução da vida na Terra, mas nenhum outro livro recente se debruçou de forma tão específica sobre a origem da vida em nível celular quanto Questão vital, do premiado bioquímico e escritor Nick Lane, professor do University College London, que chega ao Brasil pela coleção de ciências Origem. Elogiado pela comunidade científica e pela imprensa em geral e recomendado por personalidades como Bill Gates, o livro é uma instigante viagem que começa quatro bilhões de anos atrás, quando uma célula sofisticada surgiu de simples progenitores bacterianos, e mostra que toda forma de vida complexa na Terra – de seres humanos a árvores e abelhas – compartilha de um único ancestral comum, evento que nunca mais se repetiu na história evolutiva.
Autor: Nick Lane
Tradução: Talita Rodrigues
Preço: R$ 54,50
448 pp. | 14x21 cm
ISBN: 978-85-325-3054-7
Assuntos: ciências/neurociências

TERCEIRA VOZ, de Cilla e Rolf Björlind
Um funcionário da alfândega em Estocolmo é encontrado enforcado na sala de sua casa; uma ex-artista de circo cega, que fazia filmes pornô para sobreviver, é brutalmente assassinada em Marselha, na França. Duas mortes aparentemente desconexas unem os ex-policiais Olivia Rönning e Tom Stilton novamente em Terceira voz, segundo romance da dupla sueca Cilla e Rolf Björlind. Depois de Maré viva, em que apresentam os dois protagonistas numa trama repleta de violência e mistério, o casal de escritores e roteiristas põe os carismáticos Tom e Olivia novamente no centro de uma investigação de desdobramentos surpreendentes que faz jus ao sucesso e popularidade alcançados pela dupla no prestigiado segmento da literatura policial escandinava.
Autor: Cilla & Rolf Börjlind
Tradução: Maira Parula
Preço: R$ 59,50
464 pp. | 16x23 cm
ISBN: 978-85-325-3051-6
Assuntos: ficção – romance/novela, policial, suspense

A MÁQUINA PERFORMÁTICA – A literatura no campo experimental, de Gonzalo Aguilar e Mario Cámara
Organizada pela escritora, tradutora e professora de Teoria Literária Paloma Vidal, a coleção Entrecríticas é um espaço teórico para se pensar a literatura em suas conexões com outras práticas artísticas e objetos culturais contemporâneos composta por ensaios de autores latino-americanos. No último livro da coleção, Gonzalo Aguilar e Mario Cámara, professores de Literatura Brasileira na Universidade de Buenos Aires, refletem sobre as relações entre literatura e performance, tanto no que diz respeito às intertextualidades possíveis entre as duas práticas artísticas quanto à sua recepção teórica. Para os autores, o literário é atravessado por aspectos performáticos à medida que põe em cena corpos, espaços e sonoridades que ultrapassam o dado linguístico e mesclam-se a outras políticas do signo e da produção de sentido no campo artístico e cultural.
Autor: Gonzalo Aguilar e Mario Cámara
Tradução: Gênese Andrade
Preço: R$ 34,50
192 pp. | 13,5x18,5 cm
ISBN: 978-85-325-3046-2
Assuntos: ensaio, teoria e crítica literária

Fábrica231

RESISTÊNCIA, de Affinity Konar
Livro notável pelo The New York Times; Livro do Ano pela Amazon e pela Publishers Weekly; indicação de leitura dos principais veículos de imprensa norte-americanos, Resistência narra a trajetória de duas irmãs gêmeas lutando pela sobrevivência na Segunda Guerra Mundial. Pearl e Stasha chegam a Auschwitz em 1944 e ainda vivem sob o encantamento da infância – têm uma conexão muito forte, se entendem, se confortam e brincam juntas. Como parte de um experimento chamado Zoológico de Mengele, as irmãs conhecem o horror e têm suas identidades fraturadas pela dor e pelo sofrimento. No inverno, Pearl desaparece; Stasha chora pela irmã, mas mantém a esperança de encontrá-la viva. Ao final do conflito, Stasha se depara com um mundo em ruínas, uma Polônia devastada pela guerra, e tenta reconstruir sua vida a partir dali. Romance narrado com uma voz poderosa e única, Resistência desafia qualquer expectativa ao atravessar um dos períodos mais devastadores da história contemporânea e mostrar que há beleza e esperança até diante do caos e ganhou elogios da crítica e de autores como Anthony Doerr, de Toda luz que não podemos ver.
Autor: Affinity Konar
Tradução: Alyda Sauer
Preço: R$ 34,50
320 pp. | 16x23 cm
ISBN: 978-85-9517-004-9
Assuntos: ficção – romance/novela, segunda guerra mundial

STATUS: EM MUITOS RELACIONAMENTOS COMPLICADOS, de Matteson Perry
Tinder, Happn e dezenas de outros aplicativos de relacionamentos disponíveis no mundo virtual facilitaram, e muito, a vida de quem está a procura de um par, seja para um encontro descompromissado ou mesmo para algo mais sério. Mas diante de tantas possibilidades, quais são as chances de “dar match” na vida real? O roteirista e ator de stand up comedy Matteson Perry resolveu escrever sobre o assunto com base em suas próprias experiências. Tímido, meio nerd, sua vida amorosa nunca foi das mais bem-sucedidas. Já na casa dos 30 anos, quando sua namorada resolve deixá-lo do dia para a noite, Matt desenvolve um plano: Ficar solteiro por um ano. Conhecer várias mulheres. Ninguém sair ferido. Determinado a sair da sua zona de conforto, se divertir um pouco e se conhecer melhor, ele mergulha de cabeça no mundo da paquera e dos relacionamentos digitais e conhece 29 garotas diferentes. Mas como será que seu coração sairá dessa? Uma história divertida e ousada que mostra que as relações no mundo de hoje não são tão fáceis e acessíveis quanto parecem.
Autor: Matteson Perry
Tradução: Cassius Medauar
Preço: R$ 34,50
256 pp. | 14x21 cm
ISBN: 978-85-9517-000-1
Assuntos: ficção – romance/novela, comportamento

Bicicleta Amarela

AFINE A FORMA EM 15 MINUTOS – Receitas e exercícios de 15 minutos para manter a saúde e a forma, de Joe Wicks
Com dois milhões de exemplares vendidos no Reino Unido, Afine a forma em 15 minutos se tornou o livro de receitas de maior sucesso da última década no país. O nome (e o corpinho) por trás do fenômeno é Joe Wicks, personal trainer e consultor de nutrição online que tem mais de 1,7 milhão de seguidores em seu Instagram e apresenta o programa The Body Coach no Channel 4 britânico. Contrário a dietas de baixa caloria, que nunca funcionam a longo prazo, Wicks criou um programa de alimentação e exercícios fácil de ser seguido, com receitas variadas e saborosas que podem ser preparadas em apenas 15 minutos. “Mesmo sendo muito ocupado, o fato é que você pode assumir o controle e encontrar um quarto de hora para preparar suas refeições e emagrecer. Isso não é uma dieta rigorosa – é um estilo de vida que transforma o corpo e a maneira de se alimentar para sempre”, afirma.
Autor: Joe Wicks
Tradução: Marcia Frazão
Preço: R$ 39,50
224 pp. | 19x24,5 cm cm
ISBN: 978-85-68696-46-0
Assuntos: saúde/ alimentação

Anfiteatro

A CASA NO LAGO – Uma história da Alemanha, de Thomas Harding

Autor de Hanns & Rudolf, que narra a trajetória de Hanns Alexander, seu tio-avô que trabalhou como investigador de crimes de guerra e foi responsável por localizar e mandar a julgamento Rudolf Höss, o Kommandant de Auschwitz, o jornalista e escritor Thomas Harding mergulha novamente nas memórias de sua família durante a Segunda Guerra Mundial em A casa no lago. Finalista de prêmios de prestígio como o Costa Biography Award e o Orwell Prize e aclamado por veículos como Time e Spectator, entre outros, o livro conta a história de uma antiga casa de campo nos arredores de Berlim que é também uma reveladora história da Alemanha durante um século conflituoso. A aconchegante casa às margens de um lago onde os avós do autor viveram dias de alegria e afeto em família teve que ser abandonada nos anos 1930, quando os nazistas chegaram ao poder, sobreviveu a incêndios e tempestades, abrigou cinco famílias que ali buscaram refúgio nos anos seguintes, testemunhou traições e assassinatos, resistiu ao trauma de uma guerra mundial e à divisão de uma nação. Prestes a ser demolida, a casa no lago é revisitada por Harding neste livro minucioso e emocionante. 
Autor: Thomas Harding
Tradução: Angela Lobo De Andrade
Preço: R$ 39,50
408 pp. | 16x23 cm
ISBN: 978-85-69474-18-0
Assuntos: reportagem/relatos, história, segunda guerra mundial

domingo, 5 de março de 2017

Novos livros e alguns relançamentos pela Companhia das Letras.


Companhia das Letras

A árvore de Gernika, de G. L. Steer (tradução de Claudio Alves Marcondes)
Em julho de 1936, o general Francisco Franco liderou uma revolta conservadora contra o governo de esquerda da República da Espanha. O levante durou até abril de 1939 e esteve na origem da guerra Civil Espanhola, um dos mais sangrentos conflitos civis do século xx. Publicado em forma de livro em 1938, A árvore de Gernika é um relato dessa guerra. Combatendo ao lado dos Bascos, o jornalista G. L. Steer acompanhou no front os lances decisivos da batalha vencida pelo general Francisco Franco. Seu texto sobre a destruição da cidade de Guernica, publicado na imprensa na época e presente neste livro, inspirou o artista Pablo Picasso a pintar a obra-prima homônima e despertou o mundo para as atrocidades do conflito.
A luta corporal, de Ferreira Gullar
Publicado em 1954, A luta corporal é o segundo livro de poemas de Ferreira Gullar. Foi com essa obra que o jovem poeta chamou atenção na cena literária brasileira, despertando o interesse de Oswald de Andrade e dos poetas concretistas Haroldo e Augusto de Campos, de quem se aproximou. Alguns poemas desintegravam a sintaxe e se preocupavam com a disposição gráfica do verso na página. Além de experimentos estéticos radicais, os poemas trazem uma reflexão sobre o tempo e a morte, assinalando a entrada de uma voz autoral e potente na poesia brasileira. A edição da Companhia das Letras traz posfácio inédito de Miguel Conde.
Uma história do samba, de Lira Neto
Depois da aclamada trilogia biográfica de Getúlio Vargas, Lira Neto se lançou ao desafio de contar a história do samba urbano. Em sua nova empreitada (de fôlego!), o escritor cearense pretende retraçar, com sua verve narrativa singular, o percurso completo desse ritmo sincopado que é um dos sinônimos da brasilidade. Em virtude da riqueza e da amplitude do material compilado, recheado de documentos inéditos e registros fotográficos, o projeto será desdobrado em três volumes - neste primeiro, Lira leva o leitor das origens do samba até o desfile inicial das escolas de samba no Rio. O samba carioca nasceu no início do século XX a partir da gradativa adaptação do samba rural do Recôncavo baiano ao ambiente urbano da então capital federal. Descendente das batidas afro-brasileiras, mas igualmente devedor da polca dançante, o gênero encontrou terreno fértil nos festejos do Carnaval de rua. Nas décadas de 1920 e 1930, com o aprimoramento do mercado fonográfico e da radiodifusão, consolidou seu duradouro sucesso popular, simbolizado pelo surgimento das primeiras estrelas do gênero e pela fundação das escolas de samba.
Na vertigem do dia, de Ferreira Gullar
Na vertigem do dia foi publicado originalmente em 1980. Trata-se do livro seguinte ao célebre Poema sujo, lançado em 1976. O título é coerente com a trajetória de um poeta para quem a poesia nasce do espanto. A vertigem está no atropelo das coisas, dos ritmos metropolitanos, dos fatos incontroláveis, da memória, dos valores em combate dentro do sujeito. Sofrendo a divisão que se opera entre a necessidade da resistência política à opressão das ditaduras militares - Gullar conheceu por dentro também a do Chile e a da Argentina - e o reconhecimento das pulsões pessoais, a poesia se faz em meio à conciliação entre o gesto revolucionário e o espelho lírico. A edição da Companhia das Letras traz um posfácio inédito de Alcides Villaça.

Paralela

 
Talentoso, inteligente e festeiro, Dean Di Laurentis sempre consegue o que quer. Sexo, notas altas, sexo, reconhecimento, sexo… É sem dúvida um galanteador de primeira, e ainda está para encontrar uma mulher imune ao seu charme descontraído e seu jeito alegre de encarar a vida. Isto é, até ele se envolver com Allie Hayes. Em uma única noite, essa jovem atriz cheia de personalidade virou o mundo de Dean de cabeça para baixo. E agora ela quer que eles sejam apenas amigos? Dean adora um desafio, e não vai medir esforços para convencer essa mulher tão linda quanto teimosa de que uma vez não é suficiente. Mas o que começa como um simples jogo de sedução logo se torna a experiência mais incrível e surpreendente de sua vida. Afinal, quem disse que sexo, amizade e amor não podem andar de mãos dadas?

Alfaguara

O rei de Havana, de Pedro Juan Gutiérrez
Cuba, anos 1990. Após fugir de um reformatório, o jovem Reinaldo vaga pelas ruas em busca de abrigo e comida. Sem família, amigos ou qualquer objetivo de vida, Rei procura viver minuto a minuto. Enquanto caminha sem rumo, pedindo esmolas e lutando para sobreviver, ele convive com os mais diversos tipos do submundo cubano: mendigos, bêbados, travestis, prostitutas, traficantes, ladrões e vendedores ambulantes, todos famintos e atormentados pela miséria. Apesar do sofrimento diário em uma cidade imunda e arruinada, essa gente permanece invulnerável, buscando no amor, no sexo e na diversão algo que torne a vida menos amarga. Neste romance contundente, Pedro Juan Gutiérrez explora os limites da dignidade humana.

Seguinte

A traidora do trono, de Alwyn Hamilton
Amani Al'Hiza mal acreditou quando finalmente conseguiu fugir de sua cidade natal nos confins do deserto, montada num cavalo de areia com Jin, um forasteiro misterioso. Em pouco tempo, porém, sua maior preocupação deixou de ser sua própria liberdade: a garota descobriu ter muito mais poder do que imaginava e acabou se juntando à rebelião, que luta para livrar o país inteiro do domínio de um sultão sanguinário. Em meio às perigosas batalhas, Amani é traída quando menos espera e acaba se tornando prisioneira no palácio. Enquanto pensa em um jeito de escapar, ela tenta se aproximar do sultão para descobrir informações úteis para a causa rebelde. Contudo, quanto mais tempo passa ali, mais ela questiona se o governante é de fato o vilão que todos acreditam, e quem são os verdadeiros traidores do país.

Reimpressões

Comunidades imaginadas, de Benedict Anderson
Viva a língua brasileira, de Sérgio Rodrigues
Todas as histórias do analista de Bagé, de Luis Fernando Verissimo
Retalhos, de Craig Thompson
O mundo de Sofia, de Jostein Gaarder
A sala dos répteis, de Lemony Snicket
Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago
Na natureza selvagem, de Jon Krakauer
O castelo, de Franz Kafka

sexta-feira, 3 de março de 2017

Há limites para a tatuagem?


Respondo agora à pergunta do título do post: não. O que há é um limite imposto por cobranças e julgamentos externos que serão feitos, gostemos ou não.
Em suma, o que digo é o seguinte... você pode se tatuar por completo, assim como fez o homem da foto incial, mas é preciso compreender que isso lhe trará críticas (veladas ou não) até o fim de seus dias na Terra. Pode parecer algo dramático, meio clichê, porém o futuro é uma incógnita e nós precisamos evitar transtornos nos dias que virão.

Texto: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Assim, o que hoje parece ser algo legal, badalado ou maneiro pode se tornar, em um futuro próximo, fruto de exclusão social e até arrependimento. Críticas serão feitas pelas suas costas; pessoas irão apontá-lo sem que veja e muitos - movidos pela ignorância ou por preconceito - se afastarão. Não há como evitar isso a não ser que haja uma reflexão sobre aquilo que estamparemos em nossas peles. 
Claro, eu também acho que cada um deve tomar conta de sua própria vida, mas isso é utópico. Pessoas são atingidas pelo impacto de uma bomba se veem alguém muito tatuado. A situação piora se a tatuagem for ofensiva ou de gosto duvidoso.
Tatuagens na face, como as pessoas mostradas neste post, elevam as críticas e olhares condenadores em escala de progressão geométrica. Aliás, os homens mostrados aqui são ex-membros de gangues, todos marcados por suas passagens no crime. Mesmo que queiram ter outra vida, suas marcas no corpo, em especial no rosto, os caracterizam como pessoas que estiveram ou estão no crime. Perceberam o quanto isso irá persegui-los durante o resto de suas vidas?
Então, o que fazer? Primeiro, faça suas tatuagens ciente de que é isso mesmo que quer. Tatuar algo em seu corpo por impulso é, via de regra, um desastre. Selecione algo que tenha a ver com sua história. Isso garantirá que não ficará "enjoado" de ver o mesmo desenho em sua pele. Depois, porém não menos importante, saiba que as modas, ondas e tendências passam. Tatuar é expressar sentimentos, sensações, histórias. Lançar uma tattoo ofensiva - não importa a quem ou o quê - é um potencial indício de arrependimento futuro. Basta lembrar de um detalhe: os que nos odeiam por sermos tatuados irão ampliar essa raiva e incompreensão caso detectem algo que os ofenda. Mais do que isso, os tempos são conturbados e violentos; não temos a necessidade de incitar mais raiva em um mundo assim.
Logo, depois de refletir sobre o que deseja estampar em sua pele, procure um ótimo tatuador e seja feliz. A tatuagem é uma antiga e bela forma de expressar nossa história, nossas afinidades e uma parcela daquilo que somos. Não há mal em ter um desenho no corpo, mas se quiser tatuar algo racista, preconceituoso, agressivo... prepare-se para também ser discriminado, agredido e excluído. Isso aconteceu com as pessoas das fotos. Eles se viram sem suas tatuagens ofensivas e mostraram um arrependimento grande, porém é muito difícil e caro remover uma tatuagem (nem sempre os resultados são satisfatórios). Imaginem o rosto inteiro marcado.
Enfim, você é responsável por suas decisões. Mas não espere compaixão ou aceitação por parte das pessoas. Seres humanos são movidos pelos sentidos e, quase sempre, a visão é o mais importante dos sentidos. O que os olhos veem, eles julgam. Não serei hipócrita de afirmar que uma tatuagem de gangue ou uma suástica no rosto - ou outra parte do corpo exposta - não assusta e choca. Repito: o que você evidencia com suas tatuagens irá refletir em como irão recebê-lo. A escolha é sua. Lembre-se que suas escolhas podem afetar também as pessoas que ama.

Antes que questionem, eu digo: eu vou me tatuar. Amo as tatuagens e tenho já em mente aquilo que quero estampar. Contudo, não farei nada que afronte minorias, credos, raças ou discrimine pessoas ou esteja vinculado ao crime. Essa é uma decisão minha. Faça a sua.
Para reforçar este post, deixo o link de uma matéria da Inked sobre ex-detentos que viram seus corpos sem as tatuagens que indicam que eram membros de gangues. As reações são surpreendentes.
http://www.inkedmag.com/g/ex-gang-members-with-their-tattoos-removed/

quinta-feira, 2 de março de 2017

A arte e a emoção nas tatuagens de JVTattoo (João Victor Martins)


Ser tatuador é, para mim, uma escolha baseada no dom que se tem. Há muitos tatuadores excepcionais espalhados pelo mundo, mas os melhores sempre serão aqueles que, além do aprimoramento diário, optam por transpor sentimentos para a pele.
João Victor Martins é um dos que faz da emoção sua matéria-prima. Tatuar com respeito pela história por trás do desenho e dar o máximo de si para dar vida aos pedidos de seus clientes é algo simplesmente espetacular.
Além de talentoso, JV tem um traço impecável, seguro e muito apurado. Suas tatuagens vão desde a transcrição de textos até o Trash Polka. Mas não para por aí. Ele faz restaurações, tatua em estilo aquarelado e cria diversas artes conforme o pedido do cliente.
Atualmente o artista trabalha no Espírito Santo. Mas não se preocupe. O tatuador realiza seus trabalhos em viagens por São Paulo, Rio de Janeiro e outras localidades. Acompanhe-o por sua página do facebook (JVTattoovix) e saberá quais são as próximas viagens dele.
Agora, algumas de suas obras de arte. E, acreditem, não estou exagerando.


















←  Anterior Proxima  → Página inicial