{lang: 'en-US'}

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Wagner Moura vai comandar a tropa de Marcelo Freixo no horário eleitoral




Fonte: Revista Veja
Por: Cecília Ritto

No horário eleitoral gratuito, o candidato do PSOL à prefeitura do Rio não terá mais que um minuto para dar seu recado ao eleitor – contra o latifúndio de 14 minutos de Eduardo Paes, candidato à reeleição. Mas Marcelo Freixo pretende fazer deste o seu minuto decisivo de fama, ajudado por um time de famosos que se articula para dar visibilidade ao deputado estadual famoso pelo combate às milícias no Rio.

Rostos conhecidos do público sempre ajudam. Particularmente quando têm afinidade com o tema – mesmo que seja na ficção. O ator Wagner Moura, o Capitão Nascimento de Tropa de Elite, é um dos artistas envolvidos na campanha que deve aparecer na propaganda de Freixo na TV. “Não tenho tempo para errar”, diz o deputado em relação ao seu pouco tempo de exposição na TV.

O ator também abriu as portas de casa para abrigar um dos comícios do deputado estadual na tentativa de tornar-se prefeito do Rio. O time tem crescido. O ator Mateus Solano, o diretor José Padilha, de Tropa de Elite, e Caetano Veloso estão entre os eleitores famosos que se dispuseram, segundo Freixo, a aparecer na campanha.

Caetano será o próximo famoso a levar Freixo para uma mesa redonda em sua casa, uma espécie de comício doméstico para um grupo de convidados onde os rumos da campanha são discutidos e ganham pitacos dos eleitores. “A campanha será propositiva, sem caminhar para a baixaria. Quero que a cidade venha para o debate. Daí a importância do segundo turno. Nesse sentido, de atrair a população para debater ideias, é importante a presença de artistas”, afirma Freixo.

O vice de Freixo também vem da classe artística. O deputado escolheu Marcelo Yuka, ex-baterista do grupo O Rappa, para compor a chapa. Yuka tem papel estratégico: funcionará como um representante da sociedade civil na candidatura do PSOL. O músico ficou paraplégico depois de ser baleado em um assalto na Tijuca, na zona norte do Rio. Desde então, engajou-se no combate à criminalidade no Rio.

Freixo ganhou destaque na política fluminense ao presidir a CPI das Milícias na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), em 2007, que indiciou 225 envolvidos e propôs 58 medidas para acabar com a atuação dos grupos paramilitares. Desde então, com as ameaças recebidas, anda escoltado. A bandeira da ética e a postura crítica em relação ao governador Sérgio Cabral atraíram a classe artística. O próprio deputado fez ponta em uma das cenas do segundo ‘Tropa’. Foi ele quem inspirou o deputado estadual Diogo Fraga, personagem de Tropa de Elite 2.

Franz Lima says: "A prefeitura do Rio ainda terá muito a fazer para se aproximar do desejável para uma cidade no porte do Rio de Janeiro. Muitos passos em prol da correção de erros e preenchimento de lacunas já foram dados - sendo o mais importante a criação das UPP (Unidades de Polícia Pacificadora). É preciso relembrar que apenas o apoio de famosos não é algo que garanta um futuro governo condizente com as esperanças dos cariocas ou quaisquer outros habitantes de outras regiões do país. É fato que a escolha do novo prefeito irá impor aos eleitores que o elegeram (e também aos que não votaram nele) um período de quatro anos, onde não haverá retorno, restando apenas conviver com as decisões pertinentes ou os descabimentos de um louco ou corrupto. Assim, com ou sem apoio de celebridades, peço que reflitam sobre o passado dos candidatos, suas ações na política e na vida civil. Um indivíduo de má índole não irá mudar da água para o vinho apenas por ter sido eleito. Todos tem o direito de corrigir seus erros, porém não podemos ter um corrupto com lapsos de bondade no poder. A responsabilidade por eleger um indivíduo bom ou ruim é toda nossa, pois somos os alvos dos benefícios ou das seqüelas deste futuro governo.
É muito bom ver que pessoas públicas estão buscando mostrar apoio a candidatos. Contudo, não se deixem levar pelos apelos, sem antes formar uma opinião própria sobre quem querem que fique no poder. Vou analisar tudo o que for possível para fazer a MINHA escolha. Make your choice: think or die.


←  Anterior Proxima  → Página inicial

2 comentários:

  1. Provavelmente Marcelo Freixo terá pouco mais de dois minutos no horário eleitoral, baseando-se na distribuição do tempo igualitário e do tempo proporcional, um terço do horário eleitoral (10 minutos) é dividido igualmente entre todos os candidatos, e os outros dois terços (20 minutos) é dividido de forma proporcional ao número de deputados que o partidos possuem na câmara dos deputados. Como provavelmente serão apenas cinco candidatos (Marcelo Freixo, Aspásia Camargo, Otávio Leite, Rodrigo Maia e Eduardo Paes), então cada um vai receber cerca de dois minutos no horário político do tempo igualitário, mas o candidato Marcelo Freixo provavelmente só terá algo como 2 minutos e 7 segundos (tempo do PSOL) no seu horário político, enquanto Eduardo Paes alcancará os 15 minutos no horário político, devido a grande coligação que o atual prefeito provavelmente terá.

    ResponderExcluir
  2. É uma guerra por horário na frente da telinha, ai tem que darum cada um seu jeito ne? http://maxdetoxreviews.com/avaliacao-somatodrol-funciona-e-bom/ Meu site bacana

    ResponderExcluir