{lang: 'en-US'}

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Lista de Compras: série A Torre Negra - Livros e a Graphic Novel.




Esta é uma edição especial da 'Lista de Compras', dedicada ao épico A Torre Negra, de Stephen King. 

Para os que ainda não sabem, o universo de A Torre Negra está intimamente ligado a muitos dos outros livros escritos por King e, entre eles, podemos citar A Coisa, O Talismã, Rose Madder, Insônia, A Dança da Morte, entre outros. Vamos iniciar a apresentação dessa maxissérie através de uma carta do próprio King aos fãs e à Marvel, responsável pela versão quadrinizada da Torre Negra.
 
Carta aberta de Stephen King...
Cara Spotlight,

Até pensei em fazer isto em forma de HQ – eu e você trocando idéias em um bar deserto e empoeirado, quem sabe na cidade de Tull, enquanto o velho Sheb manda “Hey Jude” no piano, e aí eu começaria a ver criaturas estranhas nos cantos... e uma tempestade de areia se armaria lá fora... e uma Gangue Mutante viria chegando. Porque é assim que minha mente funciona. Logo ia se transformar em um conto, e eu ficaria aqui a noite toda. Então terá que ser uma carta. Uma divagação.
Se bem que aquele roteiro seria divertido, n’est-ce pas? Mas tudo bem.
Perguntei a Chuck Verrill (meu agente) se ele lembrava como acabei na cama com a Marvel (comigo é sempre amor, nunca negócios) e ele disse que, uma vez, respondendo sobre com quem gostaria de trabalhar – talvez até na Marvel Spotlight! – Joe Quesada disse: “Stephen King”. Alguém me enviou isso e aí eu contei – para Chuck ou Marsha DeFilippo (minha assistente) – que trabalhar com a Marvel seria maneiro. Eu posso ter crescido, mas os quadrinhos também cresceram, e na verdade nunca os deixei de lado.
Não sei quem foi que sugeriu A Torre Negra, mas me decidi na hora. Tendo lido Watchmen, Preacher e V de Vingança, achei que uma versão gráfica das histórias da Torre – ou histórias sobre o pistoleiro Roland que nunca foram contadas – poderiam virar um filme muito legal, ou uma ótima minissérie para a TV.
Além disso, sou curioso. Sempre curioso, e aberto a novas propostas de formatos para velhas obras. Os livros são imutáveis (enquanto você mantiver os censores à distância). Então não há riscos, certo? É por isso que tendo a dizer “sim” para muitas propostas de filmes, e por isso que aprovei uma versão meio excêntrica de Carrie para o circuito off-Broadway (sem falar na ópera de Dolores Claiborne que alguém está massacrando em Londres). Sei que algumas dessas adaptações vão ser terríveis, mas quem se importa? Os leitores podem voltar aos livros quando quiserem, e os livros são bons (embora alguns críticos discordem).
E mais. Você sempre tem que julgar quem está envolvido. Neste momento, há muita gente talentosa no mundo dos quadrinhos, e muitos estão na Marvel. Conversei com eles sobre isso, mas não foi necessário me persuadir; eu conheço o mercado, afinal. Leio gibis da Marvel desde que Stan Lee começou a se barbear. Ok, nem tanto... Mas estou por aqui desde que Jack Kirby desenhava o Quarteto Fantástico, e consigo lembrar quando o Aranha superou o sumido-mas-não-esquecido Homem-Borracha (e o imortal Woozy Winks) no meu afeto e consideração.
Outros livros que eu consideraria (para futuras adaptações aos quadrinhos)? A Incendiária seria uma escolha natural, mas não sei com quem estão os direitos. Projetos originais? Sem dúvida. Eu gostaria de fazer uma história radical de zumbis-tomaram-o-mundo contada do ponto de vista de várias garotas que começam patricinhas e tornam-se sobreviventes duronas com sede de sangue. Eu queria contar uma história de viagem no tempo, sobre um cara que encontra uma lanchonete que o leva a 1958... e ele sempre volta ao mesmo dia. Então um dia ele vai ao passado e fica por lá. Deixa sua vida de 2007 para trás. Seu objetivo: chegar a 22 de novembro de 1963 e deter Lee Harvey Oswald. Ele consegue, e está convencido de que CONSERTOU O MUNDO. Mas quando volta a 2007, o mundo vive o inverno nuclear. Nada bom brincar com o Tempo. Então ele tem que voltar para impedir a si mesmo... Só que ele foi infectado pela radiação, então vira uma corrida contra o tempo.
Ou que tal um subúrbio onde todas as mulheres são bruxas e a batalha do bem contra o mal está correndo abaixo da superfície dos jogos de futebol, churrascos e jogos de pôquer (os caras na sala de baixo, jogando; as garotas no quintal, invocando Nyarlahotep, o Violinista Cego do Espaço Sideral).
São tantas idéias que nem sei por onde começar. Quando a Morte chegar, provavelmente direi “Espere! Espere! Tenho que lhe contar aquela do...”. E por aí vai. Blá-blá-blá.
Eu escreveria um destes gibis? Mas é claro. Gosto do processo, que tive uma chance de conferir de perto durante a criação dos livros da Torre Negra. É parecido com roteiro para cinema, o suficiente para me deixar tranqüilo. Mas tenho muitos livros para escrever, acho, embora a qualidade da HQ seja gratificante. Poucas vezes gostei tanto de um projeto ainda em fase de criação. Jae Lee é fantástico e a qualidade da escrita – um esforço de equipe (e que equipe!) – é alta. Acho que os fãs vão ficar surpresos.
E se eu pudesse escrever uma HQ Marvel, com qualquer personagem? Homem-Aranha, óbvio. Peter Parker, o super-herói sofredor original. Não tenho certeza do que faria com ele... vejo um colapso nervoso... comportamento obsessivo, que não dá para tratar com remédios (e estraga os poderes, é claro) e a reabilitação numa ilha tropical... aí o terremoto, óbvio... ou um vulcão... a crença obsessiva de que se ele não tocar a porta exatamente 23 vezes antes de sair do apartamento, o mundo vai acabar... Ah, e uma sensação de que o uniforme está ficando mais apertado... está difícil respirar...
Coisas assim. E muito mais. Mas tenho que ir antes que isso fique sério. Longos dias e belas noites. Fique bem.
Stephen King
Fonte: Panini Comics

Leia um trecho da primeira edição (O Pistoleiro) no link que se segue: A Torre Negra

Quer saber mais sobre a simbologia por trás da mitologia de A Torre Negra? Leia direto no Stephen King Brasil.

A série está no quinto livro ilustrado e terá sim a continuidade até que se encerrem os 7 volumes. Ficou curioso também sobre os livros? Eis um pequeno resumo sobre as obras, diretamente do site do Submarino:

A Torre Negra - Volume I

O Pistoleiro

Assim começa a história de Roland de Gilead, o último pistoleiro, condenado a vagar por um mundo pós-apocalíptico em busca da lendária Torre Negra, lugar mítico que controla todo o tempo e todo o espaço. O Pistoleiro acompanha Roland em sua incansável perseguição ao enigmático homem de preto na paisagem desértica, quase atemporal, de um mundo arruinado. Alcançar sua misteriosa deusa nêmesis é apenas o primeiro passo em sua jornada rumo à Torre Negra, onde Roland espera que a rápida destruição de seu mundo possa ser interrompida ou até mesmo revertida.
*O Pistoleiro conta com 224 páginas.





A Torre Negra - Volume II

A Escolha dos Três

Com incansável imaginação, Stephen King dá continuidade à magistral saga épica de A Torre Negra. A Escolha dos Três lança o protagonista Roland de Gilead em pleno século XX, à medida que ele se aproxima cada vez mais de sua preciosa Torre Negra, sede de todo o tempo e de todo o espaço.
Um derradeiro confronto com o homem de preto revela a Roland, nas cartas de um baralho de tarô, aqueles que deverão ajudá-lo em sua busca pela Torre Negra: o Prisioneiro, a Dama das Sombras, a Morte. Para encontrá-los, o último pistoleiro, precisará atravessar três intrigantes portas que se erguem na deserta e interminável praia do mar Ocidental.
Qual será o desfecho dessa história? Acompanhe no próximo volume.
*A Escolha dos Três conta com 416 páginas.



A Torre Negra - Volume III

As Terras Devastadas

Neste romance emocionante, Roland, o último Pistoleiro, se aproxima ainda mais da Torre Negra de seus sonhos e pesadelos - atravessando um deserto amaldiçoado em um mundo macabro que é uma imagem distorcida do nosso próprio mundo. Junto com Roland, estão dois daqueles que ele levou consigo para esse universo: o ex-viciado nova-iorquino Eddie Dean e Susannah, nova identidade de mulher que combina em um mesmo corpo duas personalidades distintas.
Continue mergulhando nesta surpreendente história.
*As Terras Desvastadas conta com 528 páginas.




A Torre Negra - Volume IV

Mago e Vidro

A estranha e inesquecível odisseia de Roland de Gilead em busca da Torre Negra continua. No quarto volume da série, novos perigos ameaçam o destino de Roland. Mago e Vidro retoma a eletrizante narrativa interrompida em As Terras Devastadas.
Depois de enfrentar a terrível ameaça do monotrilho Blaine, o último pistoleiro e seus seguidores desembarcam na cidade de Topeka, no Kansas, e retomam o caminho do Feixe de Luz que conduz à Torre Negra. Roland revela então aos companheiros a história de seu passado e a trágica perda de seu grande amor de juventude, a bela Susan Delgado.
Continue essa emocionante leitura e se surpreenda ainda mais.
*Mago e Vidro conta com 816 páginas.


A Torre Negra - Volume V

Lobos de Calla

O herói Roland continua sua saga em direção à Torre Negra.Ele e seu grupo de pistoleiros vão parar na cidade de Calla, que está prestes a ser atacada pelos Lobos, cavaleiros mascarados que surgem uma vez a cada geração, para roubar metade das crianças da cidade e devolvê-las semanas depois, física e mentalmente incapacitadas. Enquanto isso, na Nova York de 1977, a Corporação Sombra planeja atacar o terreno baldio onde floresce a Rosa, manifestação da Torre Negra no mundo atual.
Como Roland e seus amigos poderão ao mesmo tempo salvar a Rosa e combater os Lobos? Continue lendo para descobrir.
*Lobos de Calla conta com 744 páginas.




A Torre Negra - Volume VI

Canção de Susannah

Uma negra, ativista dos direitos civis, paraplégica e esquizofrênica se torna pistoleira e seu corpo é sequestrado por um demônio grávido de um mundo paralelo. Canção de Susannah é muito mais do que uma eletrizante história de vigoroso suspense. Também é uma revelação, além de uma chave fascinante para o desenrolar do mistério da Torre Negra.
Em Canção de Susannah, a vida real do próprio autor, Stephen King, se mistura à trama do livro, pois ele aparece como um dos personagens. Conta com 408 páginas




A Torre Negra - Volume VII

A Torre Negra

A Torre Negra é o sétimo e último volume da série homônima, que revela o desfecho da missão implacável do pistoleiro Roland Deschain para chegar na Torre Negra.
Obcecado pelo enorme fluxo de energia que emana da torre, Roland recruta um viciado em drogas, uma mulher sem pernas, um padre amaldiçoado e um "filho", além de um animal inventado, o trapalhão Oi, para ser seu bando. O grupo o acompanha na missão, para achar e salvar a torre das mãos do Rei Rubro e seus aliados.
Acompanhe o desfecho dessa história. Avance para as extensões mais longínquas da imaginação de Stephen King. Você já chegou até aqui. É só avançar um pouco mais. Vá até o fim. Aquele barulho? Pode ser da porta se fechando atrás de você. Bem-vindo. Você chegou à Torre Negra.
*Esta última edição conta com 872 páginas.

Gostou das dicas? Então aproveite e twitte a seguinte hashtag: #PaniniApoieoFranz



←  Anterior Proxima  → Página inicial

Um comentário:

  1. "A Torre Negra" é definitivamente o nexo do multiverso de King, falo em "multi", pois de vez em quando notamos como alguns romances acontecem em mundo diferentes, mas sempre com alguma coisa que os liga. Depois que li a saga, anteriormente já tinha lido diversos trabalhos do King, obtive uma nova compreensão de suas histórias. Para quem apreciar o escritor, acho indispensável fazer também uma "busca", assim como Roland, pela Torre Negra. O King, como vimos na carta, é uma pessoas com ideias demais na mente e obviamente deve sofrer um pouco por ter de escolher alguns projetos e deixar outros para mais tarde, pois sabe que um dia o relógio não vai mais avançar. Seria muito interessante ver leituras dele de grandes heróis, com certeza ficariam bem ao "modo King". Espero que ele viva ainda mais algumas décadas, pois sei que o que escrever não faltará!

    ResponderExcluir