{lang: 'en-US'}

terça-feira, 12 de março de 2013

Pandas ainda correm risco de extinção.




Ainda correndo sério risco de extinção, segundo a WWF, os pandas - criaturas tão amadas e, ainda assim, caçadas por inúmeros motivos - estão entre as 10 espécies que mais correm risco de sumir do planeta.
Para os que contribuem com essa notícia e são responsáveis por tal estatística, relembro que a natureza cobra o preço por cada ato que cometemos contra ela. 
O ecossistema é frágil e precisa do equilíbrio. Cada espécie, mesmo as mais sinistras e peçonhentas, tem uma função na balança que nós, humanos, fazemos questão de desiquilibrar cada vez mais.
Preservem a vida e lutem para que notícias como essa sejam cada vez mais raras. Ou...

Abaixo, um extrato com algumas informações da WWF:

O WWF tem desenvolvido uma campanha internacional contra o comércio ilegal e insustentável de espécies silvestres e subprodutos. Junto com a Traffic, a rede internacional contra o tráfico de animais silvestres, estamos chamando atenção ainda com mais força para as práticas ilegais de captura e comercialização com a proximidade da Convenção Internacional sobre o Tráfico de Espécies Ameaçadas da Fauna e da Flora Silvestres (Cites), em março.

A fundação do WWF também foi motivada pelo desejo de assegurar uma chance de sobrevivência para animais tão incríveis como os elefantes e os rinocerontes, em benefício da própria vida na Terra. Afinal, os animais silvestres não cometeram nenhum crime para terminar a vida atrás das grades ou ser simplesmente exterminados.


Há esperança de que possamos salvar os animais ameaçados pelo tráfico, desde que não fiquemos imóveis. Este mês lançamos uma nova petição que tem como alvo o consumo na Tailândia (wwf.panda.org/killthetrade), onde cada nome se soma ao esforço para pressionar as autoridades a mudar a situação.


Cada pessoa, seja ativista ou comerciante, jornalista ou artesão, turista ou presidente, mas principalmente cidadão, pode contribuir para acabar com o tráfico e comércio ilegal de espécies silvestres. 

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário