{lang: 'en-US'}

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Fabio Baroli: nudez e transgressão em telas polêmicas.




Aviso aos mais puritanos: algumas das imagens podem ser interpretadas como puramente pornográficas ou de mau gosto, fato que não cabe discussão (cada um terá uma interpretação), mas também não caberá censura. Caso não gostem de qualquer material relacionado a sexualidade e nudez, não avance neste post.
Fábio Baroli, brasileiro, nasceu em Uberaba, Minas Gerais em 1981. Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Graduou-se em bacharelado pelo Instituto de Artes da Universidade de Brasília - UnB. Desenvolveu monografia sobre os conceitos da apropriação e do erotismo em sua obra.

Ao longo de sua carreira participou de várias exposições individuais e coletivas, recebeu prêmios em salões e concursos de arte, e teve a obra publicada em catálogos e revistas como a Poets and Artists (Poets and Artists - Self Portrait Issue, Estados Unidos, v. 2, n. 6, p. 70, set. 2009).

Algumas de suas obras, como verão, mostram cenas de nudez explícita e com um toque pornográfico. Transgredir é um direito da arte. Transgredir também pode levar ao pensamento crítico. Concorda? 


Uma prova de que seu trabalho não se resume ao erotismo



A curiosidade pela sexualidade começa muito cedo

A exposição dos corpos nus e de situações cotidianas onde as pessoas ficam mais à vontade ainda causa constragimento. Muitos deixam de buscar uma maior compreensão da própria sexualidade em prol de um puritanismo exagerado, o que inclui descartar e desprezar como arte as obras no padrão daquelas que Fábio apresenta. Creio que muitos temem expor seus lados mais secretos quando se veem diante de algo tão direto quanto as pinturas do artista.


Fábio Baroli
fabiobaroli@gmail.com

Fábio Baroli é representado por
GALERIA LAURA MARSIAJ
http://www.lauramarsiaj.com.br/
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário