{lang: 'en-US'}

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Resident Evil: Retribuição. Resenhas do filme e do livro.





Há momentos em que preciso agradecer por não ter grana suficiente para ver todos os lançamentos de cinema. O motivo para fazer essa declaração é simples: eu não teria lido o livro com a novelização de Resident Evil: Retribuição, caso tivesse visto o filme primeiro. Logo...
Vou começar a analisar a obra literária e intercalar com o filme. Isso irá alertá-los sobre os pontos positivos e negativos de cada obra.

Li 'RE: Retribuição' com uma expectativa colossal. A possibilidade de um livro que fizesse jus ao game - que tem uma história muito melhor trabalhada do que as que vimos nos filmes - me animou. 
O resultado dessa leitura foi um só: a vontade de assistir o filme. Com urgência.
O livro - uma novelização do roteiro cinematográfico - é capaz de proporcionar momentos muito agradáveis de leitura, principalmente por ter um texto fluente e uma narrativa surpreendente, seja você fã ou não da franquia. O responsável por essa adaptação é o escritor John Shirley. 
A descrição dos personagens, suas motivações, a ambientação e os conflitos dão consistência ao livro. Pela narrativa do autor nós somos transportados para a Umbrella Prime e vivenciamos o terror e a violência junto com Ada e Alice. É possível sentir a loucura existente no ambiente e isso é um estímulo capaz de prender o leitor por horas. 
Basicamente tudo que há no filme está também no livro. Entretanto, a forma como cada cena se passa, os diálogos e o clima são mais completos no livro. É por isso que, inicialmente, disse que agradeci por ter lido o livro primeiro. Ele é um complemento para o filme que - talvez motivado pela ação - flui muito rapidamente, deixando lacunas inexplicadas, lapsos que foram preenchidos com a adaptação do roteiro para a obra literária.
Mas e como ficam os espectadores que não leram a adaptação? Honestamente, eu creio que ficam com a sensação incômoda de perda. Pois é gritante a diferença entre o que se passa no filme e no livro. Como eles optaram por trabalhar a ação vertiginosa em detrimento de uma abordagem mais psicológica do sofrimento dos sobreviventes? Eu considero que isso foi um erro tão grave que poderia decretar o fim da franquia cinematográfica.
Mas há pontos positivos no filme, como os ótimos efeitos especiais, a ambientação, as criaturas e toda a visão desse apocalipse zumbi que atinge a Terra. A ação é outro ponto que foi bem abordado para o cinema, porém teríamos um resultado infinitamente melhor se a descrição literária fosse seguida a risco no longa-metragem.
Vou evitar maiores descrições para que não sejam lançados spoilers que prejudiquem  o espectador ou leitor, mas posso garantir que o ideal seria uma versão extendida do filme, onde fossem incluídas as passagens que explicam melhor as relações entre Alice e Luther, além de evidenciar os conflitos da equipe de resgate e o próprio Luther. O que concluo, após comparar as duas versões é que RE: Retribuição é um excelente livro e um filme mediano, porém ainda resta a esperança de um último filme onde Alice e todos os personagens recebam a atenção necessária para que haja compreensão por parte do espectador e um maior respeito pelo fã dos games. Unam as duas mídias e teremos a perfeição que os admiradores aguardam...

P.S.: clique no link a seguir e concorra ao livro Resident Evil: Retribuição.
Cast do filme
Dados técnicos:

Elenco:

  • Milla Jovovich como Alice
  • Michelle Rodriguez como Rain Ocampo
  • Kevin Durand como Barry Burton 
  • Sienna Guillory como Jill Valentine
  • Shawn Roberts como Albert Wesker
  • Aryana Engineer como Becky
  • Colin Salmon como James "One" Shade
  • Johann Urb como Leon S. Kennedy 
  • Boris Kodjoe como Luther West
  • Li Bingbing como Ada Wong 
  • Oded Fehr como Carlos Oliveira

Direção: Paul W. S. Anderson
Ano de produção: 2012
Duração: 97 minutos.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário