{lang: 'en-US'}

sábado, 25 de maio de 2013

Redação simulada é corrigida e aponta erros que podem ajudar na hora da avaliação real.






"Enem Nota Máxima" disponibiliza uma equipe de especialistas para a correção de redações, um dos recursos que a caixa com dez volumes apresenta. Para testar os professores da LeYa, editora responsável pela publicação, a Livraria da Folha pediu ajuda aos leitores.

P.S.O., que pretende fazer o Exame Nacional do Ensino Médio neste ano, enviou seu texto para a avaliação. A Livraria da Folha encaminhou à equipe. Abaixo, leia a redação e as correções.

*

Direitos humanos para todos

É triste saber que 1 a TV, rádio, jornais e internet só se interessam por um assunto tão importante quanto os diretos humanos quando o presidente da comissão em Brasília é contra negros e homossexuais.


1. É preciso ter cuidado com a linguagem. Certas expressões invadem o "território do leitor" e prejudicam a recepção tanto do ponto de vista quanto dos argumentos, por parte do leitor.

Um pastor evangélico não pode ser responsável por tomar decisões que são fundamentais para toda população que inclui ateus e membros de religiões de origem africana. Religião que é tradicionalmente tida como demoníaca por evangélicos. 2

2. Note como a afirmação e a informação expressas no parágrafo seguinte apenas formulam a conclusão do segundo parágrafo, onde estariam melhor acomodadas.

Na minha opinião 3, Marco Feliciano não deveria se envolver com temas que ele não está pronto 4 para tratar no momento em que ainda acontecem ataques contra negros e homossexuais.

3. Expressão desnecessária, por tratar-se, a dissertação, de um gênero opinativo. Todas as afirmações do texto, portanto, serão fruto da opinião do autor.

4. Será o melhor termo para o caso? A ideia de estar pronto para o cargo contraria a análise que se constrói no texto acerca do perfil ideológico do deputado Marco Feliciano.

Se nem na câmara temos quem nos defenda o que podemos esperar nos próximos anos 5. A popularidade de deputados que geram polêmica como Feliciano e Bolsonaro crescem a olhos vistos, enquanto agressões e desrespeitos aos direitos individuais das minorias é 6 cada vez mais freqüente. 7

5. Trata-se de uma interrogativa. Deveria ser finalizada com o uso do ponto de interrogação ("?").

6. Aqui há um nítido problema de concordância entre os substantivos "agressões" e "desrespeitos" e o verbo "é".

7. Conforme a " nova ortografia", não se usa mais trema na Língua Portuguesa.

O pior é que o fortalecimento de pessoas intransigentes com poder político vai afetar a população brasileira. Do que adianta falar mal no Twitter se eles são sempre reeleitos.

Não sei se proibir é a candidatura é melhor forma de controlar pessoas como o deputado, isso é antidemocrático e o que é proibido fica mais gostoso.

Talvez seja necessário uma campanha de educação como é feito contra as drogas ou para explicar a prevenção da AIDS. Homofobia também é doença. 8

8. O conteúdo desses três últimos parágrafos acomoda-se melhor em um único parágrafo, evitando-se, assim, a fragmentação da ideia formulada para o desfecho.

*

Algumas considerações acerca do texto Direitos humanos para todos, de P.S.O.

1 - Ao afirmar que "na câmara [não] temos quem nos defenda (...)", o autor prejudica o distanciamento crítico necessário para manter a análise que vinha desenvolvendo até então e enfraquece a isenção que esse momento do texto opinativo exige. O autor alterna, assim, sua condição de crítico para vítima de uma circunstância política específica, a saber, a eleição do deputado e pastor evangélico Marco Feliciano para o cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

2 - Os três últimos parágrafos tentam estabelecer uma "proposta de intervenção para o problema abordado" e, assim, acatar uma das exigências da prova de redação formulada pelo Enem. Contudo, a falta de objetividade prejudica a clareza necessária para confirmar, no desfecho, a opinião formulada ao longo do texto.

3 - A linguagem utilizada em várias partes do texto - "É triste (...)", "(...) não pode ser (...)", - compromete o padrão mais adequado a uma dissertação e aproxima o texto de gêneros como o "comentário" ou o "bate-papo". Além disso, expressões como "o pior é (...)", "Do que adianta falar mal (...)", "eles são sempre reeleitos", "não sei (...)" ferem um dos princípios da dissertação que é o de questionar e promover reflexões acerca do tema proposto pela prova, por meio de argumentação.

Avaliação
A redação apresenta domínio apenas mediano da norma-padrão, elabora uma proposta de intervenção pouco articulada ao que foi desenvolvido no texto, apresenta inadequações na utilização dos recursos coesivos e oferece uma argumentação frágil e pouco organizada, que não sustenta com profundidade o ponto de vista adotado. 

Franz says: a matéria acima é muito interessante não só pelas valiosas dicas de escrita, como também por mostrar que a busca por aprimoramento é constante, ininterrupta. Espero que os leitores do Apogeu curtam essa matéria e ajudem também a divulgar a página de educação do Folha de SP.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário