{lang: 'en-US'}

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Preconceito e segregação são marcas de empresa fornecedora da Apple na China.




Pegatron é acusada de discriminação antes mesmo de contratar seus funcionários: candidatos devem cumprir uma série de requisitos e passar por vistorias ofensivas

Nesta segunda-feira (29/07) um grupo de defesa dos direitos dos trabalhadores na China divulgou um relatório mostrando que uma das fornecedoras da Apple viola uma série de direitos de trabalhadores. A taiuanesa Pegatron é acusada pela organização China Labor Watch de contratar menores, violar o direito das mulheres e fornecer péssimas condições de trabalho a seus funcionários. Além disso, a empresa também é acusada de discriminação - que ocorre antes mesmo de uma pessoa ser contratada para trabalhar lá. 
É que, para se tornar um empregado da Pegatron, o candidato deve cumprir uma série de requisitos. A determinação de alguns deles é crime em diversos países, incluindo na própria China. Mesmo assim, até agora o governo chinês não se posicionou sobre o caso.
Veja abaixo alguma das exigências para se tornar funcionário da Pegatron e, repare, muitos brasileiros não se encaixariam no perfil procurado pela empresa:
Não ter nenhuma tatuagem:
Segundo o relatório do China Labor Watch, os candidatos são obrigados a ficarem nus e passarem por vistorias em locais públicos e na frente de muitas pessoas para que a empresa se certifique que eles não possuem nenhuma tatuagem. Os exames são feitos em dois momentos diferentes.
Ter menos de 35 anos:
A fábrica contrata apenas funcionários entre 16 e 35 anos.
Não estar grávida:
A Pegatron não aceita funcionárias que estejam grávidas. Mas o que acontece se você engravidar depois de ser contratada? Bem, um Power Point exibido pela empresa aos novos empregados explica: "funcionárias mulheres que engravidarem fora do casamento ou violarem a política de planejamento familiar não podem receber licença-maternidade".
Não ter um cabelo diferente:
A empresa não contrata ninguém com "estilos ou cores de cabelo não usuais".
Ser maior do que 1,5 metro:
A companhia taiuanesa só contrata funcionarios acima de 1,5 metro.

Apple
Para chegar a essas informações, o China Labor Watch afirma ter realizado "investigações secretas" nas fábricas da Pegatron entre março e julho, além de ter se reunido com mais de 200 trabalhadores. A fornecedora da Apple é acusada de violar 86 direitos dos trabalhadores.
Segundo a organização, a gigante de tecnologia se tornou cúmplice da companhia taiuanesa ao ter se comprometido a revisar as condições de seus fornecedores e, mesmo assim, ter aumentado seus pedidos para as fábricas da Pegatron no último ano.
A Apple já foi objeto de críticas no passado pelas condições nas fábricas de suas fornecedores na China após reconhecer que um de seus principais contratados, a taiuanesa Foxconn violou os direitos de seus trabalhadores e inclusive empregou 500 menores de idade.

Franz says: é inacreditável, porém não irreal, que esse tipo de coisa ainda aconteça em uma empresa sediada em um país tão importante quanto a China e, ainda pior, fornecedora de serviço para a Apple. Vergonhoso ver tanta discriminação sem que nada seja oficialmente feito para dar fim a essa política de humilhação ao cidadão que busca - e está capacitado - o emprego.
Mas devemos também atentar ao fato de que em nosso próprio território há muitas empresas - de todos os portes - que usam de uma seleção similar, devidamente disfarçada para evitar processos na justiça.
 
 

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Um comentário:

  1. É o nosso mundo. Uns trabalham como escravos para outros terem telefones bacanas e bonitinhos. Enquanto uns passam fome, outros morrem de diabetes ou obesidade. E assim continuamos... ¬¬'

    ResponderExcluir