Pular para o conteúdo principal

Antes de Watchmen: Ozymandias. Resenha da mais elaborada graphic novel da série

Por: Filipe Gomes Sena (colaborador master do Apogeu)

            Como comentei nos meus outros textos sobre Antes de Watchmen, quando eu soube do esquema de publicação das minisséries, cada uma para um personagem, imediatamente fiz o meu top 4 e aguardei pacientemente pelas publicações. Da minha lista o ultimo a ser publicado foi justamente aquele que ocupava a quarta posição. Estou falando de Antes de Watchmen: Ozymandias.
           
A minissérie foi publicada em 6 partes e lançada em um encadernado de 148 páginas com o preço de  capa de R$ 16,90. Mais uma vez  com duas versões de capa, assim como as demais publicações da série. O roteiro fica por conta de Len Wein e quem assina a arte é Jae Lee.
            A história abandona o que estava sendo feito com os outros personagens e volta pra o que foi feito com a  história do Coruja, ou seja, na Antes de Watchmen de Ozymandias temos, de fato, uma história de origem. Ao longo das seis edições nós vemos Adrian Veidt narrando a sua própria história. Desde sua infância até uma época muito próxima do inicio dos eventos de Watchmen.
            A forma como a história é narrada é bem interessante. Adrian tem, devido a sua genialidade, uma tendência a diminuir todos os outros que fizeram parte da sua vida, sempre exaltando as suas próprias qualidades e inteligência. Apesar disso tudo  é descrito de maneira muito pessoal, mas bastante sincera.
           

Chamou minha atenção também o fato de Adrian mudar muito pouco ao longo dos anos. A sua personalidade é praticamente a mesma desde a infância. O que muda é justamente a percepção do mundo e o amadurecimento, bastante precoce inclusive, do personagem. A forma como ele sempre buscou melhorar física e intelectualmente, criando dificuldades para si mesmo como forma de mostrar que nada que ele tinha vinha de alguma facilidade que ele teve na vida, contando apenas com os seus dons para alcançar o sucesso. Isso também o conduziu ao caminho do combate ao crime.
           
Fica claro que Ozymandias entra para a lista de justiceiros mascarados pelo simples fato de se considerar capaz de fazer isso tão bem ou melhor do que qualquer um dos outros que estavam na ativa. Ele trata isso de uma forma bem banal e ao narrar seus encontros com bandidos dos mais diversos tipos, fica claro que eles são enxergados ainda menores do que as outras pessoas. Mas apenas um dos personagens não é tratado dessa maneira por Adrian Veidt: o Dr. Manhattan.
            A relação dos dois é bem interessante. Dr. Manhattan é, de fato, o único que Ozymandias não pode superar. Mas mesmo assim ele pode se aproveitar das habilidades do Doutor para desenvolver uma tecnologia bastante avançada. Porém isso ocorre de maneira bem oportunista, pois boa parte dessa tecnologia vem da falha de Adrian em conseguir replicar as capacidades de teletransporte do Dr. Manhattan. Fato que tem ligação direta com os eventos de Watchmen.
            A arte de Jae Lee (que deu vida à série A Torre Negra) me deixou impressionado. A narrativa visual, o uso das sombras e a diagramação dos quadros dão um ar bastante interessante à leitura dessa história. Ele usa com maestria o seu traço excelente pra emprestar às memórias de Ozymandias o ar surreal que tão bem combina com uma narrativa baseada em lembranças. Alguns detalhes espalhados pelo desenho também ajudam a compor aquela que eu considero a melhor arte da série até agora.

            Em resumo, Antes de Watchmen: Ozymandias superou todas as minhas expectativas. Boa história e uma arte de cair o queixo. Uma leitura muito boa e a melhor publicação da série até agora. Não tenho certeza se os números restantes conseguirão atingir um nível tão alto, mas espero que não fiquem muito atrás. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bethany Townsend, ex-modelo, expõe bolsa de colostomia de forma corajosa.

Bethany Townsend é uma ex-modelo inglesa que deseja, através de sua atitude, incentivar outras pessoas que sofrem do mesmo problema a não ter receio de se expor. Portadora de um problema que a atinge desde os três anos, Bethany faz uso das bolsas de colostomia  que são uma espécie de receptáculo externo conectado ao aparelho digestivo para recolher os dejetos corporais, e desejou mostrar publicamente sua condição.  Quero que outras pessoas não tenham vergonha de sua condição e é para isso que me expus , afirmou a ex-modelo. Bethany usa as bolsas desde 2010 e não há previsão para a remoção das mesmas.  Eu, pessoalmente, concordo com a atitude e respeito-a pela coragem e o exemplo que está dando. Não há outra opção para ela e isso irá forçá-la a viver escondida? Jamais... Veja o vídeo com o depoimento dela. Via BBC

Suzane Richthofen e a justiça cega

Por: Franz Lima .  Suzane von Richthofen é uma bactéria resistente e fatal. Suas ações foram assunto por meses, geraram documentários e programas de TV. A bela face mostrou ao mundo que o mal tem disfarces capazes de enganar e seduzir. Aos que possuem memória curta, basta dizer que ela arquitetou a morte dos pais, simulou pesar no velório, sempre com a intenção de herdar a fortuna dos pais, vítimas mortas durante o sono. Mas investigações provaram que ela, o namorado e o irmão deste foram os executores do casal indefeso. Condenados, eles foram postos na prisão. Fim? Não. No Brasil, não. Suzane recebeu a pena de reclusão em regime fechado. Mas, invariavelmente, a justiça tende a beneficiar o "bom comportamento" e outros itens atenuantes, levando a ré ao "merecido" regime semi-aberto. A verdade é que ela ficaria solta, livre para agir e viver. Uma pessoa que privou os próprios pais do direito à vida, uma assassina fria e cruel, estará convivendo conosco, c

A sensualidade das princisas da Disney em lingeries.

Uma seleção com as belas princesas da Disney, porém de uma forma que nem os príncipes viram. Sensualidade e criatividade a toda prova. O artista que desenvolveu e concebeu estas versões tem seus trabalhos expostos no Deviantart. Confiram outros trabalhos clicando aqui . Franz says : definitivamente, não há nada mais belo no universo do que uma mulher usando lingerie... Sensual até no desenho.