{lang: 'en-US'}

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Internet demais prejudica saúde mental das crianças, diz estudo. Via O Globo.




Fonte: O Globo.

RIO - Relatório da agência de saúde pública britânica enviada ao Parlamento afirma que o excesso de tempo na internet está prejudicando a saúde mental das crianças.
Na avaliação da Public Health England - responsável por estabelecer os parâmetros do venerado sistema público de saúde britânico -, o abuso da rede provoca nas crianças problemas como solidão, depressão, ansiedade, baixa autoestima e agressividade, informou o site do jornal “Telegraph”.
Os efeitos nefastos da conectividade atingem sobretudo os jovens que passam mais de quatro horas por dia na internet. Mas a agência ressaltou que mesmo uma exposição muito baixa à rede pode ser prejudicial.
“As evidências sugerem que há relação entre a dosagem e os efeitos, e cada hora de uso (da internet) aumenta a probabilidade de a criança experimentar problemas socioeconômicos e o risco de baixa autoestima”, disse o relatório.
A Public Health England foi apocalíptica em suas conclusões, atribuindo aos computadores responsabilidade por grande parte dos crescentes problemas de saúde que afetam as crianças no Reino Unido. Segundo o texto enviado ao Parlamento, um décimo da população infantil sofre de algum transtorno de ordem mental e um terço dos adolescentes experimentam tristeza pelo menos uma vez na semana.
A agência chega a afirmar que a internet pode ter destruído todo o avanço conquistado no bem-estar das crianças britânicas nas últimas duas décadas, informou o “Telegraph”.

Franz diz: a realidade é que tudo em excesso é prejudicial. A internet sempre será uma ferramenta de aprendizado, comunicação e lazer imprescindível, porém a longa exposição remove a criança de sua realidade física para um mundo irreal. Navegar na web é salutar desde que não haja a transferência, a mudança da criança para o virtual. É preciso saber balancear os dois mundos.
Aliás, essa transposição também é prejudicial para adultos que, infelizmente, transferem suas alegrias, frustrações, amizades e tudo mais para a web. Há pessoas que não mais conseguem manter um contato estável fora da internet. Em casos mais extremos - como ocorre no Japão - pessoas passam a viver quase integralmente em frente ao computador, descartando todo e qualquer convívio externo, inclusive o familiar.
Lamentável... 
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário