{lang: 'en-US'}

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Livros didáticos novos são encontrados no lixo, em Belém. Via G1.




Fonte: G1
 
Em Belém, livros didáticos que poderiam ser utilizados foram parar no lixo. No local, próximo a um canal no bairro da Sacramenta, foram encontrados livros de história, geografia, matemática e língua portuguesa, a maioria do 4º ano do Ensino Fundamental.
O flagrante foi registrado no movimentado cruzamento da avenida Senador Lemos com o canal do Galo. Segundo testemunhas, os livros foram jogados há pelo menos dois dias. O catador de lixo Carlos Augusto conta que passa diariamente pelo local. “Tinha aqui um monte de livro jogado, toneladas. Eu acho que a prefeitura levou”, afirma o catador.
A maioria dos livros estão novos e não foram preenchidos. O lavador de carros Raimundo Sérgio pegou nove exemplares e os levou para os filhos de 5 e 8 anos. “Eu me agradei e peguei uns livros pra mim como várias pessoas fizeram, tinha muito livro lá jogado fora”, conta.
A professora Lea Gomes mora próximo ao canal e mantem uma escola de reforço para alunos do 1º ao 4º ano. Ela lamenta que livros didáticos sejam desperdiçados. “Tem muita gente precisando ainda de um livro. Deviam perguntar para uma escola, uma comunidade quem queria os livros para serem reaproveitados”, disse.
A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informou que os livros podem ser tanto da rede estadual quanto da municipal de ensino e que vai abrir um processo administrativo disciplinar para apurar se os livros pertencem a alguma escola.
Ainda segundo a Seduc, os livro são repassados diretamente pelo Fundo Nacional  de Desenvolvimento da Educação (FNDE) às escolas da rede pública cadastradas no programa Nacional do Livro didático (PNDL) e cabe aos diretores das escolas verificar se os livros foram devolvidos pelos alunos para serem reutilizados ou doados.

Franz diz: só quem passou pelo sufoco de comprar os livros didáticos no início do ano sabe o quanto é caro adquiri-los. 
Encontrar livros novos, servíveis, jogados no lixo é, no mínimo, vergonhoso. Para variar, tais publicações devem ter sido adquiridas para lavar dinheiro de algum órgão público. Inaceitável uma cena como a acima, principalmente em um país que precisa de uma reforma educacional urgente.
 

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário