{lang: 'en-US'}

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Análise do trailer de Esquadrão Suicida.




Por: Franz Lima 

A DC está muito atrás da Marvel em termos de filmes. Mesmo com a trilogia do Batman de Nolan e Man of Steel, ainda há muito para ser feito até chegar ao mesmo patamar das produções Marvel e Sony (detentoras dos direitos das franquias Marvel).
Mas o tempo é um mestre que ensina. Com algumas quedas no currículo (Superman, o retorno - Lanterna Verde) e os sucessos já citados acima, restou a retomada do caminho correto. E isso está ocorrendo neste exato momento.
As produções de Batman v Superman: dawn of justice e Esquadrão Suicida mostram que o rumo foi traçado e com seriedade.
Mas o destaque agora é para a equipe de supervilões. O Esquadrão Suicida teve seu trailer oficial lançado na Comic Con com uma recepção estrondosa pelos presentes ao evento. O que faltava era divulgar este trailer ao público geral e isso, finalmente, ocorreu.
Agora, curtam uma análise do que esse trailer mostrou e o que poderá vir desse novo sucesso (duvidam?).

O início do trailer mostra militares reunidos com uma mulher poderosa, Amanda Waller. A conversa entre eles detalha o local onde um grupo de vilões altamente perigosos está encarcerado. O diálogo sugere que eles são uma ferramenta a ser usada e, caso algo dê errado, descartada sem que o governo seja ligado às ações do grupo.
Amanda insinua que a aparição do Superman esteja ligada ao "despertar" desses vilões, o que demonstra a preocupação da DC em interligar suas produções. Ela também reforça que suas "habilidades" estão além daquelas que um ser humano normal tem.
As cenas seguintes reforçam a periculosidade e o isolamento dos vilões ao som I Started a Joke, além de mostrá-los em ação. Cada passagem reforça o mal escondido nos vilões. 
Will Smith surge como o responsável pelo nome do grupo e também ironiza a importância deles: "Vamos salvar o mundo".
Laços familiares de alguns dos anti-heróis aparecem em curtas cenas, fato que pode significar um aprofundamento das motivações e emoções dos personagens e uma maior seriedade no filme, o que contraria a tendência dos filmes "engraçadinhos" onde a profusão de piadas pode até atrapalhar a ação e a tensão que a produção pede.
Esquadrão Suicida não pode ser um filme lotado de piadas como ocorre em Vingadores, por exemplo. O filme abordará uma equipe de assassinos incontroláveis e insanos. Mesmo ao lado do governo, suas índoles ainda são as piores, o que torna impraticável a presença de humor em altas doses.
Dando sequência, o caos na cidade é mostrado através de ataques de gangues, incluindo um atirador fantasiado com uma máscara do Batman. O avanço da equipe de vilões é orquestrado por Deadshot que, aparentemente, será o líder do Esquadrão.
Seguem-se flashs onde a tensão impera, mas é óbvio o destaque para Arlequina e sua insanidade. 
O que é visto a seguir surpreende, pois um carro esportivo rosa em alta velocidade tem em seu teto o... Batman. 
Mais ação e loucura são mostradas em cenas impactantes. 
E eis que surge o Coringa. Magro, tatuado, insano e torturador. O mal encarnado e ensandecido. 
Que venha 2016! O Esquadrão Suicida é uma das maiores promessas para os fãs de quadrinhos e cinema no próximo ano.





←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário