{lang: 'en-US'}

terça-feira, 22 de março de 2016

Com você... até o fim.




Oi. Que tal estou?
Sabe, faz anos que nos conhecemos e ainda não compreendo nossa relação. Afinal, o que quer de mim? Já não lhe dei meus suspiros e lágrimas? Acaso isso foi pouco? Diga-me o que mais deseja, pois temos pouco tempo juntos.
Eu toco meu peito e sinto você em mim. Nem o sono mais pesado consegue nos manter distantes. Afinal, o que quer de mim?
Olho para o espelho e vejo outra pessoa, uma mais madura e, infelizmente, frágil. Tanta fragilidade gerada por nosso relacionamento. Cada segundo juntos trouxe dois sentimentos: o temor e o amor. Temor por nossa separação. Amor próprio. Sei que nunca mais serei a mesma sem você, porém quero o fim. Não podemos continuar juntos ou, do contrário, morreremos. Você é ácido, frio e mal, ainda que não perceba. Sua natureza é essa. Mas eu preciso de mais tempo para reparar erros, viver aquilo que você manteve distante de mim e, sobretudo, amar as pessoas que realmente me amam.
A luz está diminuindo. Meus olhos pesam e todos me olham. Alguns estão confiantes no fim dessa controversa relação, mesmo a um preço tão alto. Eu? Eu quero viver...


Maria morreu em um sono profundo, cheia de paz, esperança e isenta de dores. Ela não resistiu ao câncer, porém sobreviveu ao medo. Ela permanecerá viva em nossos corações.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário