{lang: 'en-US'}

segunda-feira, 7 de março de 2016

Resenha da Graphic novel "Ms. Marvel: nada normal".





Por: Filipe Gomes Sena. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

        O ano era 2014. Foi a última vez em que um material meu foi publicado nessas páginas internéticas. Nesse meio tempo muita coisa mudou, mas uma das que não mudaram foi o carinho que eu tenho pelo Apogeu e pelo meu querido patrocinador Franz Lima. E foi justamente conversando com Franz sobre minhas participações no Apogeu que a vontade de publicar aqui retornou com tudo. Mas a pergunta que não queria calar era “sobre o que eu vou escrever?”. A resposta veio essa semana, quando eu li uma HQ tão boa que me tirou dessa inércia que já durava anos. Então eu, Filipe Gomes Sena, Colaborador Master do Apogeu (segundo o próprio dono do site), retornei pra falar sobre a sensacional Ms. Marvel: Nada Normal.
            Ms. Marvel: Nada Normal reúne em um volume de 132 páginas as edições 1 a 5 de Ms. Marvel, publicadas originalmente em 2014, e uma história retirada de All-New Marvel Now! Point One 1. O encadernado foi publicado por aqui em capa dura e capa cartonada. O roteiro é de G. Willow Wilson e a arte é de Adrian Alphona. Essa dupla criou, junto com Sana Amanat, a nova Miss Marvel, Kamala Khan, a primeira personagem muçulmana a protagonizar um título na Marvel. Sua primeira aparição aconteceu nas histórias da Capitã Marvel do fim de 2013. Poucos meses depois Kamala ganhou um título pra chamar de seu.
           Caso você não esteja familiarizado, os poderes da nova Ms. Marvel não têm nada a ver com os poderes da Ms. Marvel original. Kamala tem o poder de alterar a forma e o tamanho do seu corpo, podendo modificar uma única parte ou o corpo inteiro, inclusive a sua aparência. Para quem lia ou assistia Naruto é só lembrar das habilidades de alteração de tamanho de Chouji, é bem parecido com aquilo.
Em Nada Normal somos apresentados a uma Kamala Khan ainda sem poderes. Uma adolescente muçulmana de família paquistanesa que possui um único desejo: ser normal. Inconformada com as limitações impostas pela religião e em um conflito constante com seus pais, Kamala experimenta todo o conflito de viver inserida numa sociedade que não compartilha da sua crença e nem dos seus costumes. Fã de super-heróis e totalmente inserida na cultura da internet, ela sonha com uma vida igual à dos amigos, com mais liberdade e muito menos obrigações religiosas. E é justamente esse desejo de normalidade que faz Kamala sair de casa escondida e sofrer com os efeitos de uma estranha névoa que acaba desenvolvendo seus poderes. E todo esse processo de descoberta, aprendizado e aceitação é o que faz a história brilhar.
            De fato, o que mais me surpreendeu é que, ao ler a história, a minha vontade era ver mais de Kamala e menos da Ms. Marvel. Sua interação com a família, com os amigos e como os super poderes interferem nessa relação. Inclusive eu estou muito curioso sobre como será o crescimento do personagem daqui pra frente, mais como pessoa do que como heroína.

            Ms. Marvel: Nada Normal faz jus a tudo que falam. Toda a atenção que a nova Ms. Marvel chamou não é por acaso. Uma personagem interessante, bem escrita e bem desenhada, o resultado não podia ser outro. Essa HQ é mais uma das provas que boas histórias de super-heróis ainda podem ser contadas. Uma prova de que os títulos de heróis de segundo (ou terceiro) escalão estão se tornando as verdadeiras joias das grandes editoras... Talvez eu devesse falar um pouco sobre representatividade étnica, sobre como o uniforme de Kamala é bem mais comportado do que o da maioria das heroínas de quadrinhos e coisas assim, mas acho que você já tem muitos motivos pra ler esse quadrinho.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

Um comentário:

  1. Eita, como é bom ver a equipe junta! =D
    --
    Ótima resenha Filipe. Me deu vontade de ler os quadrinhos...

    ResponderExcluir