Pular para o conteúdo principal

American Horror Story - Season 6. Review do primeiro episódio.

Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Preconceito e violência marcam os primeiros minutos do primeiro episódio de American Horror Story em sua sexta temporada. O clima é tenso, ainda que a busca pela felicidade de um casal seja o ponto principal.
Narrada como em uma entrevista, entrelaçado por cenas relativas aos depoimentos, o episódio já começa a impactar pelo tom cru e a indignação que o preconceito gera nos espectadores.
Atingidos pela ignorância e a intolerância, o casal opta por recomeçar em um novo lugar... Carolina do Norte. Mas nem lá eles são totalmente aceitos, o que não os impede de comprar uma nova casa. São persistentes e recomeçar é a meta.
Matt é um vendedor. Esperto, bem humorado e determinado.
Shelby é uma mulher forte, bela e marcada pelo medo e por algo que a acompanha.
Mas a nova casa é a melhor oportunidade para recomeçar. E eles não vão deixar essa oportunidade fluir pelos dedos. Mesmo diante de fatos estranhos e assustadores, eles se mantêm firmes em sua nova residência.

Nota: Matt e Shelby são mostrados como duas pessoas diferentes das que vivenciam os fatos, assim como acontecem em programas que usam atores para reconstituir uma história. A Shelby que relata é interpretada pela atriz Lily Rabe, enquanto a Shelby da "dramatização" é feita por Sarah Paulson. O Matt Miller que relata os acontecimentos é o ator André Holland, enquanto o que faz parte da reconstituição é Cuba Gooding Jr.




Bem, se você ainda continua lendo é por sua conta e risco. A partir de agora, vou comentar algumas nuances do episódio e, inevitavelmente, lançar spoilers sobre a trama.

Alucinações ou espíritos?

Em histórias de fantasmas, sempre fica a dúvida se a pessoa assombrada está alucinada ou vendo espíritos realmente. Como a mente humana é capaz de pregar peças em nossos sentidos, a dúvida é algo que só se dissipa diante de provas, fatos. E o que não faltam são as contundentes provas de que há alguém acompanhando Matt e Shelby.
As visitas dos espíritos apenas incomodam enquanto estão enquadradas na categoria 'aparição'. Mas quando a história passa a incluir ataques e sustos... então é hora de buscar ajuda.
Matt tem uma irmã, Lee, que foi policial. Ela tem a coragem necessária para acompanhar Shelby enquanto ele está fora, apesar de haver alguns problemas pessoais que a tornam meio complicada, incluindo uma pequena intriga entre ela e Shelby. 
A narrativa prossegue e muito pouco é revelado. Há indícios, porém é bom lembrar que estamos falando de American Horror Story. Indícios podem direcionar o espectador para outro lado, distraí-lo até que o medo dos personagens esteja incorporado em vocês. É bom ter cautela.
Espíritos ou alucinações? Não temos como saber, principalmente se levarmos em conta que Shelby bebe constantemente, talvez buscando afastar os temores.

My Roanoke Nightmare.

Esse é o título presente em todos os cortes de narrativa do episódio. E o que isso poderia significar? 
Segundo relatos históricos, colonizadores ingleses foram deixados em uma vila na ilha de Roanoke, atualmente Carolina do Norte. O responsável pela colônia era Sir Walter Raleigh.
Os colonos tiveram problemas com os índios e chegaram a atacá-los. Houve mortes nos dois lados. O clima de tensão era enorme e só piorava com a escassez de recursos para os colonos. Assim sendo, um grupo partiu para a Inglaterra em busca de alimentos e recursos. O que não contavam era com uma guerra contra a Espanha que levaria-os a um atraso de três anos para retornar à colônia. Lá chegando, encontraram apenas a paliçada do forte e em uma das árvores a inscrição Croatoan. Todos os colônos sumiram sem deixar vestígios e o mistério nunca foi solucionado.

Nessa sexta temporada de American Horror Story, passada na Carolina do Norte, Raleigh, o mistério ganha ares de maldição. Nada fica óbvio nesse primeiro episódio, porém a tensão está no ar. Problemas pessoais, medo, preconceito, fantasmas e algo relacionado ao mistério de Roanoke são apenas alguns dos elementos presentes no primeiro episódio. Apesar de ainda não haver o horror visto em outras temporadas, as interpretações consistentes e a ambientação estão impecáveis. Pequenos detalhes poderão ser vistos caso vocês mantenham a atenção, mas não estragarei a surpresa. 
Recomendo assistirem ao menos duas vezes para vislumbrar melhor os detalhes que passam alheios aos nossos olhos em uma primeira oportunidade. 
Destaque para as breves presenças de Kathy Bathes, Wes Bentley e Denis O´Hare.
Seja como for, American Horror Story: Roanoke é uma temporada que veio para dar novos ares à série. 
Vejam o trailer e o episódio e aguardem ansiosos pelos próximos capítulos.

P.S.: o final desse primeiro episódio foi muito bom, mesmo deixando o espectador na tensão e expectativa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bethany Townsend, ex-modelo, expõe bolsa de colostomia de forma corajosa.

Bethany Townsend é uma ex-modelo inglesa que deseja, através de sua atitude, incentivar outras pessoas que sofrem do mesmo problema a não ter receio de se expor. Portadora de um problema que a atinge desde os três anos, Bethany faz uso das bolsas de colostomia  que são uma espécie de receptáculo externo conectado ao aparelho digestivo para recolher os dejetos corporais, e desejou mostrar publicamente sua condição.  Quero que outras pessoas não tenham vergonha de sua condição e é para isso que me expus , afirmou a ex-modelo. Bethany usa as bolsas desde 2010 e não há previsão para a remoção das mesmas.  Eu, pessoalmente, concordo com a atitude e respeito-a pela coragem e o exemplo que está dando. Não há outra opção para ela e isso irá forçá-la a viver escondida? Jamais... Veja o vídeo com o depoimento dela. Via BBC

Suzane Richthofen e a justiça cega

Por: Franz Lima .  Suzane von Richthofen é uma bactéria resistente e fatal. Suas ações foram assunto por meses, geraram documentários e programas de TV. A bela face mostrou ao mundo que o mal tem disfarces capazes de enganar e seduzir. Aos que possuem memória curta, basta dizer que ela arquitetou a morte dos pais, simulou pesar no velório, sempre com a intenção de herdar a fortuna dos pais, vítimas mortas durante o sono. Mas investigações provaram que ela, o namorado e o irmão deste foram os executores do casal indefeso. Condenados, eles foram postos na prisão. Fim? Não. No Brasil, não. Suzane recebeu a pena de reclusão em regime fechado. Mas, invariavelmente, a justiça tende a beneficiar o "bom comportamento" e outros itens atenuantes, levando a ré ao "merecido" regime semi-aberto. A verdade é que ela ficaria solta, livre para agir e viver. Uma pessoa que privou os próprios pais do direito à vida, uma assassina fria e cruel, estará convivendo conosco, c

A sensualidade das princisas da Disney em lingeries.

Uma seleção com as belas princesas da Disney, porém de uma forma que nem os príncipes viram. Sensualidade e criatividade a toda prova. O artista que desenvolveu e concebeu estas versões tem seus trabalhos expostos no Deviantart. Confiram outros trabalhos clicando aqui . Franz says : definitivamente, não há nada mais belo no universo do que uma mulher usando lingerie... Sensual até no desenho.