{lang: 'en-US'}

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Frank Miller causa polêmica ao fazer declaração sobre o movimento Occupy Wall Street





Está acontecendo nos Estados Unidos um movimento chamado Ocuppy Wall Street, originário da crise econômica que atingiu o país e a Europa recentemente. Os manifestantes protestam contra a influência empresarial na sociedade e no governo dos Estados Unidos, e se posicionam também contra a impunidade dos responsáveis e beneficiários da crise financeira mundial.
Wall Street é a rua em que se localiza a Bolsa de Valores de Nova York, e também o coração financeiro norte-americano. O movimento está se espalhando para outros estados e até outros países.
Quem resolveu se pronunciar sobre o assunto foi Frank Miller, um dos principais quadrinhistas americanos, que criou clássicos como Demolidor - A Queda de Murdock, Batman - O Cavaleiro das Trevas, Batman Ano Um e Sin City.
Quem esperava que Miller apoiasse a manifestação devido ao teor muitas vezes revolucionário e contra o status quo presentes em seus quadrinhos, está enganado. E sua declaração causou polêmica por se posicionar contra o movimento.
"Todos estão sendo muito educados sobre esse absurdo. O movimento pode ser qualquer coisa menos o exercício de nossa abençoada Primeira Emenda. Esses manifestantes são nada mais do que um bando de arruaceiros, ladrões e estupradores, uma multidão incontrolável, alimentados pela nostalgia da Era de Woodstock e falsa justiça. Esses palhaços não farão nada mais do que ferir a América", escreveu o autor em seu blog.
"É uma tentativa desajeitada e mal expressada de anarquia feita por crianças mimadas com seus iPhones e iPads, que deveriam parar de ficar no caminho dos trabalhadores e procurar um emprego. Isso não é um levante popular. É lixo. E Deus sabe que eles estão levando esse lixo - político e filosófico - a todos os lugares que puderem", afirmou. 

Leiam na íntegra em Universo HQ
Miller já extrapolou sua cota de intolerância e preconceito com a HQ Holy Terror. Definitivamente, a idade não está fazendo bem a ele.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

4 comentários:

  1. WOOwww!Humilhou! Mas sabe que ele disse exatamente aquilo que eu penso sobre o movimento?

    ResponderExcluir
  2. Sam, Miller tem apresentado um comportamento extremamente patriótico (não, isso não é ruim) nos últimos anos, porém esse patriotismo beira o fanatismo, o excessivo.
    Seu trabalho "Holy Terror" é uma bomba, tanto em qualidade gráfica quanto em conteúdo, pois incita ainda mais o ódio pelos islâmicos.
    Depois de DK2, também um fracasso, Holy Terror veio para nos alertar sobre o perigo da influência de uma mídia poderosa como a HQ sobre o público.
    It´s madness

    ResponderExcluir
  3. O cara tá louco, eu concordo... Mas convenhamos que no fundo o movimento do OWS até agora não mostrou qualquer 'fim' definido, qualquer meio de alcançar seu propósito.
    Eu realmente acho que é um bando de gente que, sem mais o que fazer, resolveu usar máscara.Claro que existem idealistas, intelectuais, mas a maior parte, é isso mesmo...
    pelo que vejo, claro

    ResponderExcluir
  4. O Marcos Gomes esteve em plena Wall Street (via nerdoffice) e verificou que são pessoas realmente engajadas na causa, protestando contra um controle absoluto sobre o dinheiro deles, criticando o sistema de distribuição de rendas, as manipulações do mercado financeiro e, principalmente, o descaso do governo com os menos favorecidos. Existe uma parcela dos que ali estão que, indubitavelmente, são apenas tumultuadores, porém é a maioria disposta a mudar que conta.

    Não é apenas em nosso país que a pilantragem come solta. Nos EEUU há uma máfia financeira que só não é mais divulgada por conta de um governo que precisa do apoio desse tipo de gente para poder dar seguimento ao seu governo "guerrilheiro" e "imperialista". Os impostos sobem e irão surgir novas formas de exploração do próprio povo americano para bancar uma guerra de apropriação de território (não oficializada) e exploração do petróleo e outros produtos existentes nos países invadidos.

    ResponderExcluir