{lang: 'en-US'}

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Nove filmes brasileiros estão no 68º Festival de Locarno





Fonte: Portal Brasil
O Brasil está no 68º Festival de Cinema de Locarno tanto nas telas, com curtas e longas-metragens (todos inéditos, três em mostras competitivas), quanto nos bastidores, com a presença de representantes de produtoras brasileiras em encontros de negócios que visam à exportação do cinema do Brasil para mostras e festivais internacionais. A Ancine apoiou financeiramente cinco dos nove representantes brasileiros no evento.
Heliópolis

O longa-metragem Heliópolis, do diretor Sérgio Machado, estreia no festival suíço. Ele será exibido, fora de competição, na seção Piazza Grande, em uma tela gigante ao ar livre no encerramento do festival. O filme contou com aporte financeiro da Ancine (Agência Nacional do Cinema) por meio do Fundo Setorial do Audiovisual, no valor de R$ 1,5 milhão.
O diretor Júlio Bressane foi convidado pelo festival para o júri da sessão Cineastas do Presente. Pela mostra, compete o longa brasileiro Olmo e a Gaivota, de Petra Costa e Lea Glob.
Bressane, por sua vez, está no festival (fora de competição) com seu novo filme, Garoto, e com mais três produções realizadas por um projeto para produções de baixo orçamento idealizado por ele, o Tela Brilhadora. Participam do projeto os longas Origem do Mundo, de Moa Batsow, O Espelho, de Rodrigo Lima, e O Prefeito, de Bruno Safadi – estes dois últimos também viajaram a Locarno com apoio da Ancine.
Duas produções brasileiras participam da mostra competitiva de curtas-metragens. Leopardos do Amanhã: História de uma Pena, de Leonardo Mouramateus, e O teto sobre nós, de Bruno Carboni – ambas contempladas pelo Programa de Apoio à Participação de Filmes Brasileiros em Festivais Internacionais e de Projetos de Obras Audiovisuais Brasileiras em Laboratórios e Workshops Internacionais da Ancine.
O Programa de Apoio à Participação de Produtores Brasileiros de Audiovisual em Eventos de Mercado e Rodadas de Negócios Internacionais da Ancine aprovou o financiamento da viagem de cinco produtoras brasileiras: Tokyo Filmes, Okna Produções Culturais, Bubbles Project, Paranoid Filmes e Mira Filmes. Cada uma recebeu R$ 4 mil para participar do festival.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário